quinta-feira, 21 de abril de 2016

A verdade sobre maratonas em forma de humor?

A comediante Liz Miele publicou um curto trecho de seu standup em que fala sobre maratonas. Abaixo minha tradução (pode conter erros) e depois o vídeo:

É isso que eu faço no meu tempo livre:  eu corro bastante, eu corro maratonas e não estou me gabando pois não sou boa. Ainda estou terminando minha última (maratona).
Eu tenho corrido maratonas desde que comecei a fazer comédia standup e sempre que você faz algo estranho ou extremo as pessoas sempre assumem que não pode fazer também, o que nem sempre é o caso.
No caso da comédia standup as pessoas dizem "Oh meu Deus, você é uma comediante, eu nunca conseguiria fazer isso." E eu geralmente concordo pois elas são meio chatas. Provavelmente não poderiam.
Mas em relação a maratonas as pessoas não concordam. A pessoa diz: "você corre maratonas, eu nunca conseguiria fazer isso". Eu digo: "Sim, você poderia.". Você só tem que encontrar aquele equilíbrio perfeito de se odiar. E você consegue. Pois é só "cardio" (aeróbico). É só uma quantidade abusiva de cardio e alguns problemas familiares não resolvidos.
Você pode não concordar comigo, mas não acredite que alguém acorda 5 da madrugada num domingo para correr 42 quilômetros no frio porque gostam de si mesmos. Porque você sabe o que pessoas autoconfiantes fazem. Nada! Eles não se justificam ou pedem desculpas. Eles acordam num domingo pela manhã quando querem e comem queijo. Eu já vi.



Imagem do vídeo de Liz Miele. Fiquei sabendo através do Christopher McDougall.

quarta-feira, 20 de abril de 2016

Corridas elitizadas, corrida descalça e corrida-transporte: Jeferson Strujak na Corrida da SMELJ (Primeira Etapa 2016)

Jeferson Strujak


O Jeferson Strujak me escreveu:

"Caro amigo, 

Mais uma prova com os pés no chão e mente sã.

Há algum tempo decidi não pagar mais para correr e só correr as provas gratuitas ou ¨patrocinadas¨.

Porém estou pensando em criar novos parâmetros para participar das provas; eu sou um sujeito que não utilizo automóvel por princípios ideológicos e lógicos, e cada dia que passa as corridas estão ficando mais ¨etilizadas¨.

É a segunda vez que tenho que atravessar a cidade inteira em um sábado para retirar um kit de uma prova da prefeitura em uma loja totalmente fora de mão para a grande maioria das pessoas.

Seguem fotos para a comunidade.

Att.

Jeferson Strujak"


Tem tudo a ver com meus posts anteriores: Entrega de Kits longe demais e Vale a pena correr uma prova de 5K?

Jeferson Strujak

segunda-feira, 18 de abril de 2016

Vale a pena correr uma prova de 5K?

Corri uma prova de 5K ontem.

Foi uma das provas com inscrição gratuita da Prefeitura de Curitiba.

Gastei aproximadamente uma hora, indo de carro, para ir buscar o kit no sábado.

Gastei aproximadamente uma hora, indo de carro, para ir fazer a prova no domingo.

Tive que acordar bem cedo no domingo. Cheguei umas 6h. A largada foi às 7h.

Terminei a prova em 26 minutos. Tempo demais para uma atividade intensa (minha frequência cardíaca média foi de 171, com pico de 182).

Vale a pena tanto investimento de tempo para fazer uma prova que se conclui em menos de meia hora?

Para somente correr?

Num percurso não aferido para a distância exata anunciada (disseram que foi aferido mas que tinha mais do que 5K - meu GPS registrou 5,5Km).

Para mim, hoje, não vale mais.

Talvez amanhã volte a valer a pena.
Talvez numa prova mais perto de casa valha a pena.
Talvez uma distância menor, mais curta e intensa, valha a pena.
Talvez numa prova curta (uns 3Km) e com obstáculos valha a pena.





sábado, 16 de abril de 2016

Entrega de Kits longe demais

Amanhã devo correr os 5K da primeira etapa de corridas da SMELJ em Curitiba. São corridas gratuitas organizadas pela Prefeitura Municipal de Curitiba. Em primeiro lugar temos que agradecer que neste ano de crise eles ainda mantenham esta iniciativa.

A entrega dos kits aconteceu numa loja que fica no bairro Hugo Lange.

Fica a 28 minutos (de carro!!!) da minha casa.

Por azar eu moro no lado oeste da cidade e a entrega foi no lado leste.

Mas não seria melhor se a entrega fosse num bairro mais central?

Não seria melhor ainda se o kit pudesse ser pego no dia da prova? Afinal de contas o kit é apenas chip e número de peito...

Do jeito que está (entrega num local pouco central), não seria uma prova somente para os que tem carro?




Receba as postagens deste blog por email