quinta-feira, 25 de fevereiro de 2016

Comentário em "GPS SEMPRE? NÃO! POR FAVOR, NÃO!"

Escrevi um comentário tão longo em "GPS SEMPRE? NÃO! POR FAVOR, NÃO!", que achei que merecia um post:

“em nenhuma corrida você corre em piso tão regular em velocidade tão constante em linha reta” 

Digo mais, em corridas (de cidade – não se aplica a corridas cross-country ou de trilha) em geral você corre em condições muito facilitadas, que eu não encontro no meu dia-a-dia de corrida-transporte, por exemplo.

Nas corridas a gente corre no asfalto. No dia-a-dia eu corro na calçada.

Quando estive nos EUA, fui visitar o Steve Gangemi, o Sock Doc. Foi uma semana antes da minha participação na Maratona de Nova Iorque.

Ele me chamou para correr um pouco na área verde perto da casa dele. Na maior parte do percurso, fomos pisando em folhas secas (era outono). Em algumas partes tivemos que nos abaixar ou pular para transpor obstáculos.

Eu um momento até tinha que passar por cima de um riacho (que estava seco) através de um tronco. Eu evitei o tronco, fiquei com medo e passei por baixo.

Enfim, tudo isso para dizer que a Maratona da Nova Iorque, assim como toda maratona de rua, foi extremamente simples, em termos de movimentos, comparada com aquele treino de 1 hora.

E olha que foi um treino basicamente de corrida. Poderíamos ter subido em árvores, carregado pedras, mas eu não estava pronto naquele dia e apenas corremos.

Bem, escrevi tudo isso para dizer que sim, correr sempre *baseando-se* no GPS é um absurdo. Eu corro sempre com GPS (um Garmin 405CX bem velho que comprei usado por 20 dólares) mas quase nunca uso aquela informação para modificar meu treino. Apenas uso como registro (gosto de ver no Garmin Connect e no Strava o que aconteceu, por onde passei, como foi minha Frequência Cardíaca).

Ah, uso sim um pouco para modificar o treino: se a FC subir demais eu reduzo o ritmo. Mas isso hoje em dia é muito raro. Eu já tenho noção do ritmo em que gosto de treinar e reduzo a intensidade antes mesmo do frequencímetro avisar.

Eu treino leve, quase sempre (Método Maffetone), pois não quero entrar na zona “black hole”. E quando vou intenso não olho para a FC. Não dá tempo, pois são tiros de alguns segundos.

Correr ouvindo música eu não entendo. Caminhar? OK. Correr ouvindo música é muito perigoso para os treinos que faço, em calçadas, atravessando ruas.

sexta-feira, 5 de fevereiro de 2016

Filósofos do Movimento: Ido Portal e Dan Edwardes

Tenho tomado conhecimento, após a leitura de Natural Born Heroes, de algumas pessoas que vêem o movimento como mais do que mera atividade física.

Ido Portal

Ido Portal

"Calçados com alta tecnologia, pés com baixa tecnologia. Quanto mais caros os brinquedos, mais pobre é o atleta."

"High tech shoes, low tech feet. The more expensive the toys, the cheaper is the mover."

"Se você não foi colocado para fora de uma academia, você realmente não está se movendo direito."

"If you haven’t been thrown out of a gym, you haven’t really moved yet."



Dan Edwardes


Dan Edwardes

"Pare de se testar e você enfraquece. Pare de se adaptar e você começa a morrer."

"Stop testing yourself and you grow weaker. Stop adapting and you start dying."

"Busque o que te deixa com medo. Enfrente o frio, abrace o vento e a chuva."

"Seek out those things that make you afraid. Face the cold, embrace the wind and the rain."

Receba as postagens deste blog por email