sábado, 31 de outubro de 2015

Nova página (Primal and Paleo Fitness Brazil) e post sobre MovNat

Criei uma página no Facebook para divulgar atividades como Parkour, MovNat, Corrida (lenta ou moderada, estilo Maffetone), Corrida descalça, Primal Fitness, etc. Enfim tudo que tem uma certa inspiração paleo. O nome da página é  Primal and Paleo Fitness Brazil. Vou dar preferência a textos em português e vídeos feitos no Brasil.

Um dos posts foi o de hoje, sobre MovNat:

Pequena nota em português sobre MovNat publicada na revista Trip em 2009. 
MovNat é um método de ensino de movimento natural criado pelo francês Erwan LeCorre. 
É óbvio que o movimento natural existe há bastante tempo. O que é novo é o método de ensino. E o próprio Erwan reconhece que não foi o primeiro a criar um método. Ele inspirou-se em várias pessoas, entre as quais Georges Hebert. Leia a história do Método Natural em  https://www.movnat.com/the-roots-of-methode-naturelle/  e futuramente num livro que Erwan está escrevendo:  http://www.amazon.com/Practice-Natural-Movement-Reclaim-Freedom/dp/1628600233/
O livro Natural Born Heroes: How a Daring Band of Misfits Mastered the Lost Secrets of Strength and Endurance​, de Christopher McDougall​ liga também o surgimento do MovNat a um período que Erwan passou na Amazônia e depois a workshops que ele realizou em Itacaré, na Bahia. 
Alguém aqui pratica MovNat?
http://revistatrip.uol.com.br/revista/178/salada/in-natura.html
Você está acima do peso? Sofre de dores crônicas ou falta de vitalidade? Se for o seu caso, talvez você tenha a “síndrome do zoológico humano”. “Trata-se de um fenômeno global e crescente, fruto da sociedade moderna, em que a humanidade está desconectada de sua verdadeira natureza e por isso sofremos física, mental e espiritualmente”, defende Erwan Le Corre, criador do método que promete resgatar os instintos primitivos de cada um, o MovNat. Trata-se de um treinamento físico feito ao natural, em que o participante explora diferentes paisagens e se movimenta conforme a geografia do lugar: pulando ribanceiras, atravessando rios e até mesmo carregando pedras. Os benefícios? Condicionamento físico, coragem e força de vontade. Para o fim do ano, Le Corre planeja ensinar o método em Itacaré, na Bahia. 


Fonte: 

Pequena nota em português sobre MovNat publicada na revista Trip em 2009.MovNat é um método de ensino de movimento...
Posted by Primal and Paleo Fitness Brazil on Saturday, October 31, 2015

segunda-feira, 26 de outubro de 2015

Mentes Modernas: Mais do que Multitarefa, Dr. Phil Maffetone

Tradução de Modern Minds: More than Multitasking, do Dr. Phil Maffetone

Fonte: http://philmaffetone.com/modern-minds-more-than-multitasking/


Focar em mais do que uma atividade por vez pode melhorar sua habilidade de fazer isto, e ao mesmo tempo impulsionar sua função cerebral.

Humanos ficam mais fascinantes na passaagem do milênio. Parece que foi ontem que aprendemos que o mundo era redondo, desenvolvemos álgebra, e desenvolvemos os meios para voar. E como todo mundo na era digital sabe, nós podemos agora fazer duas ou mais coisas ao mesmo tempo. Podemos mesmo?

Os seres humanos têm sido multitarefa por eras. Quando esta habilidade é desenvolvida corretamente e com segurança, ela pode de fato melhorar a capacidade de multitarefa em si e ao mesmo tempo aumentar a função cerebral. Entender mecanismos de multitarefa pode literalmente ajudar a função corporal inteira a ficar melhor pois fazer isso dispara vários benefícios terapêuticos internos através de atividade cerebral e fluxo sanguíneo aumentados.

Para mim, multitarefa é fazer simultaneamente duas ou mais  coisas muito bem. Ou várias, ou às vezes mesmo muitas. Note a ênfase em muito bem. Isto vai além de caminhar e mascar chiclete ao mesmo tempo. Ter uma conversa importante com alguém enquanto ele ou ela está distraído em suas outras tarefas no celular provavelmente não é uma boa conversa. E todos nós sabemos sobre os riscos de falar ao telefone enquanto dirigimos.

Tudo o que fazemos é parte de uma multitarefa, que inclui fazer cada tarefa única com a alta qualidade merecedora desta obra-prima chamada cérebro. Durante o fazer de multitarefas, cada tarefa deve receber a mesma atenção que receberia se fosse nossa única tarefa. Quer envolva cozinhar, atividades no jardim, ou juntar dados digitais, cada tarefa é uma parte separada porém intrincada de outra, e de geralmente mais tarefas, todas gerenciadas por um cérebro. Um ótimo chef pode preparar uma deliciosa referição de quatro pratos para 10 pessoas tão boa — alguns diriam melhor — do que uma refeição por vez. Um ótimo clínico irá avaliar o paciente de várias formas tudo de uma vez — enquanto observa o movimento do corpo, escutando a qualidade da voz, sentindo o odor, tomando notas ou tomando a pressão sanguínea, e formulando a próxima questão relevante. Nós todos queremos ser ótimos humanos.


Frequentemente o cérebro está fazendo várias tarefas subconscientemente. Por exemplo, eu logo irei parar de escrever este artigo, permitindo que várias áreas do cérebro assumam e meditem sobre o rascunho. Retornar a ele um dia ou dois depois irá geralmente trazer resultados muito bons  — uma nova descrição, uma linha final melhor, uma contagem de palavras reduzida. Este tipo de multitarefa pode também ocorrer enquanto dormimos, com uma versão mais fresca do rascunho do texto assim que acordamos. Nós frequentemente acordamos com ideias novas pelas mesmas razões.

Enquanto a mente humana faz multitarefa bem, algumas pessoas são também altamente eficientes em fazer multitarefa física também.

Pode o cérebro de fato executar duas ou mais tarefas motoras  — algum tipo de manobra corporal  — tão bem quanto pode separadamente? Provavelmente não precisamente, mas próximo, especialmente quando praticado. Malabarismo é um exemplo comum, mas não é muito diferente de lavar pratos enquanto cozinha um par de itens no forno, faendo quatro diferentes cafés do Phil ao mesmo tempo, e tocando música, que exige várias manobras físicas e mentais precisas. Sem dúvida algum grupo de psicólogos fez algum experimento em algum lugar medindo quantos erros são feitos. E sem dúvida havia muita multitarefa envolvida naquela pesquisa — dinâmicas de grupo compôem uma lista intrigante de atividades do tipo multitarefa, e de errros humanos.

Uma outra forma de multitarefa é sentir o movimento na mente. Isto pode realmente fazer os neurônios trabalharem, por assim dizer, ligando caminhos motores para músculos em preparação para ação no caso de você de fato querer executar a tarefa. Esta imagem mental tem sido por longo tempo utilizada em uma variedade de esportes com aplicações óbvias. Pense sobre seguir um certo caminho através das árvores, ou uma rota pela cidade. Enquanto estas ações mentais por si só são um grande exercício mental, elas também são a base para memorizar grandes volumes de material. E se você comete um erro durante suas viagens, não fique frustrado demais  — o cérebro não gosta de hormônios do estresse.

De volta à questão do erro humano, que pode ocorrer, e de fato ocorre durante multitarefa física e mental. Considere o uso de celulares enquanto se dirige e o risco aumenatdo de acidentes. Conversas sem as mãos ainda são multitarefa, e ainda podem aumentar o risco, assim como uma discussão com um passageiro.

Se nós conscientemente tentamos focar em um evento dentro de uma multitarefa isto pode levar a erros, como bater seu carro. É por isso que, mesmo à distância, você pode perceber que outro motorista está falando ao telefone — o veículo desacelera quando o motorista está falando ou digitando, um reflexo do cérebro para reduzir a velocidade na esperança de diminuir o nível de perigo.

Parece que nosso mundo digital moderno acelerado nos força a fazer multitarefa mais, como se tivéssemos mais a fazer estes dias. Nós temos encontros de negócio ou discutimos questões sensíveis enquanto dirigimos, ou durante o almoço.

Apesar de eu gostar de minha mente multitarefa ao olhar para a natureza ou para fora de uma janela de avião, outros  não conseguem fazer isso. Alguns de fato se sentem desconfortáveis se não há nada na frente deles para fazer multitarefa. Eles parecem estar sentados calmamente, mas o cérebro está furioso — isto se mostra nos dedos remexendo ou nas pernas inquietas, giros rápidos de cabeça e olhos correndo.

Gerenciar nossas múltiplas tarefas pode envolver aprender como desistir. Nós devemos ter algumas de nossas zonas de conforto colocadas em nosso dia, não importa quão ocupados aparentemos estar. Enquanto nesta zona, assim como em nossos sonos de noite completa, devemos desligar o estresse. Dirigindo o carro, comendo uma refeição, ou relaxando depois de um dia ocupado são momentos para dar à mente uma pausa curta. É o momento ideal para liberar todas estas outras coisas que estão acontecendo na cabeça   — e deixar nossa mente lidar com isso subconscientemente. Nós podemos literalmente mudar nossas mentes ao recrutar nossos outros sentidos, como ao cheirar as rosas. No carro, por exemplo, podemos escutar música agradável — da mesma forma nos horários de refeição enquanto saboreamos os sabores e aromas da boa comida. Voltar a multitarefas mais óbvias após esta pausa curta irá fazer a mente — e o corpo todo — mais eficiente, mais criativo, economizar tempo, e nos ajudar a cometer menos erros.

Muitas pessoas já fazem multiarefa muito bem, apesar de alguns ainda não terem consiciência disso. Outros não fazem bem. Independemente, permitir que a mente faça mais é um dos seus prazeres, e uma outra forma de exercitá-la, de um ponto de vista neurológico.

Neste caso, multitarefa é mais do que um jogo — fazê-la traz mais sangue circulante ao cérebro pois mais centros estão ligados, mais nutrientes entram, mais neurônios se conectam uns aos outros, portanto melhoram nossa rede neuronal. Tudo levando a um cérebro melhor mais capaz de fazer multitarefa — e fazer tudo o mais — mais eficientemente. 


sexta-feira, 16 de outubro de 2015

Barefoot Runners from Brazil | Corredores descalços do Brasil

I know there is no such a thing as a barefoot runner. There is someone running barefoot. These are some pictures from some friends (most of the I haven't met in person yet) that occasionally run barefoot here in Brazil. And there are many others, of course.

Eu sei que não existe "corredor descalço". O queexiste é alguém correndo descalço. Abaixo vão algumas fotos de alguns amigos (a maioria deles eu não conheço pessoalmente ainda) que ocasionalmente correm descalços aqui no Brasil. E existem outros, claro.

Conhece algum(a) que não esteja nas fotos e tem uma foto dele(a)? Avise-me e postarei aqui.

Quer começar a correr descalço? Não vá rápido demais! A transição pode ser longa. Comece lendo esta página.



Adolfo Neto
Curitiba - PR

Izidro Martins
Brasília-DF

Jacks Floripa
Florianópolis-SC

Jacks Floripa
Florianópolis-SC

Jacks Floripa
Florianópolis-SC

Jacks Floripa
Florianópolis-SC

Jacks Floripa
Florianópolis-SC

Jeferson Strujak
Curitiba-PR

Juscelino Oliveira
Fazenda Rio Grande-PR

Leonardo Liporati - Belo Horizonte - MG
Cátia Caldeira - Belo Horizonte - MG
Arnoldo Boson Boson - Belo Horizonte - MG
Fonte: Eles correm descalços (iG)


Luana Andrioni
Luciano Antonio Borguetii
Florianópolis-SC

Luana Andrioni
Luciano Antonio Borguetii
Florianópolis-SC

Luana Andrioni
Luciano Antonio Borguetii
Florianópolis-SC

Luana Andrioni
Luciano Antonio Borguetii
Florianópolis-SC

Luana Andrioni
Luciano Antonio Borguetii
Florianópolis-SC

Luana Andrioni
Florianópolis-SC


Marcelo Menecucci
Porto Seguro - BA

Reges Crs - Rio de Janeiro_RJ
Cátia Caldeira Soares - Belo Horizonte-MG 

Reges Crs - Rio de Janeiro_RJ
Cátia Caldeira Soares - Belo Horizonte-MG

Reges Crs - Rio de Janeiro_RJ






Desafrio Urubici 👣❄ #desafrio2015 #barefoot #barefootrunning #runlikehuman #running #run #focoradical

A photo posted by Luciano (@lucianobfaustino) on

#desafrio #desafrio2015 #barefootrunning #running #trailrunning #runlikehuman

A photo posted by Luciano (@lucianobfaustino) on

quarta-feira, 7 de outubro de 2015

Por que você pratica Corrida-Transporte?


Já escrevi aqui várias vezes que pratico corrida-transporte. Para quem não sabe do que se trata, aqui vai minha Definição de Corrida-Transporte:

Corrida-Transporte é o uso da corrida como meio de transporte para ir de um ponto A a um ponto B. A Corrida-Transporte acontece em substituição ao uso de carro, ônibus, metrô, bicicleta ou mesmo da caminhada como meio de transporte.  A Corrida-Transporte pode ser utilizada para ir ao trabalho, para ir para a escola, para ir para o supermercado, para ir até um ponto de ônibus ou estação de metrô/trem, ou até mesmo para ir até um ponto onde você estacionou seu carro. Ela difere, portanto, da prática usual de treino de muitos corredores, que geralmente começam e terminam seu treino no mesmo ponto.
A Corrida-Transporte é uma prática da mesma categoria das seguintes: Caminhada-Transporte, Ciclismo-Transporte, Skate-Transporte, etc. Todas estas práticas juntas fazem parte de uma categoria maior: o Treino-Transporte



Perguntei a alguns colegas de prática (inclusive ao que talvez seja o pioneiro na divulgação da prática aqui no Brasil), por que eles praticam Corrida-Transporte. Abaixo as respostas:


Marcos Viana "Pinguim"
Porque acho mais prático que o ciclismo-transporte e também pelo motivo de ser ultramaratonista. É praticamente uma simbiose, quanto mais ultamaratona eu faço mais corrida-transporte eu consigo fazer e vice-versa!!! É unir o útil ao agradável!!! 

Pinguim sendo entrevistado pela TV Gazeta SP
Pinguim correndo em SP na reportagem da TV Gazeta SP

Pinguim correndo em SP na reportagem da TV Gazeta SP




A Vanessa Hikari respondeu:
Acho que a corrida transporte é uma forma de aliar o treino com a corrida como meio de transporte sem riscos de ser atropelado.

E a Vanessa indicou este vídeo (Treino Básico Funcional para Iniciantes - Comece a treinar calistenia!):


E complementou:

Meu sonho é fazer tudo ao ar livre e sair da academia...

E o Wellington Oshiro  disse:
Pra mim pode ser uma das alternativas para mobilidade urbana, porque ela é mais econômica, ecológica, serve para lazer e prática de atividade física. Ela traz muita vantagem sobre os automóveis. Quando você anda de carro nas grandes cidades, pega trânsito e contribui com a poluição do ar. A corrida-transporte é muito natural porque você está praticando atividade física e contribuindo com o meio ambiente ao mesmo tempo. É muito melhor ainda do que provas de rua convencionais porque vc não se preocupa com horário de largada e correr na pista monótona. A corrida-transporte é muito vantajosa pois você pode correr onde quiser e em qualquer horário.








Eu gosto de fazer corrida-transporte pois me permite conciliar mais facilmente meus treinos de corrida com meu dia-a-dia. Não preciso ficar acordando de madrugada para treinar, como alguns fazem. A corrida-transporte me permite conhecer a cidade de uma forma diferente. E também me dá mais flexibilidade ao pegar ônibus. Normalmente, quando eu pratico corrida-transporte, eu não me locomovo apenas correndo. Eu corro até certo ponto e de lá pego um ônibus; ou o contrário.

Mas é claro que existem desafios à prática da corrida-transporte, que vamos comentar num futuro post.



Quero-queros atacando


Hoje fui treinar na pista da Universidade Positivo (não era o plano - decidi na hora treinar lá). A ideia nem era fazer corrida-transporte. Mas não me deixaram treinar. Quem? Os quero-queros.

Uma quero-quero fêmea provavelmente estava chocando e quando eu chegava perto de uma área o macho vinha voando na minha direção.


Mas o macho era esperto o suficiente para não tocar em mim. Resultado: uns tiros aqui e ali (fugindo do quero-quero) e no final fui treinar no Lago da Universidade.





Pesquisando rapidamento no Google é fácil encontrar explicações para a atitude do quero-quero:



E exemplos de ataques. Este aqui foi durante um jogo de futebol:


domingo, 4 de outubro de 2015

CIRCUITO DE CORRIDAS DE RUA DE CURITIBA 2015 - 4ª ETAPA

Todas as fotos estão em na página do Corrida em Curitiba e Região.

Aqui as melhores (na minha opinião) fotos, algumas recortadas de seu enquadramento original.


Eu correndo a prova. Foto de Nilton Junior.


Fiz a prova de 5K. Foi uma prova boa, com clima agradável (detalhes do percurso e da temperatura aqui). Terminei em 24:50, tempo bem pior do que meu RP de 21:32 em 2014. Mas eu não estou treinando só corrida como fazia ano passado.

Foi ótimo conhecer o Jeferson Strujak pessoalmente. Ele correu os 10K descalço em 46:46.

Aparentemente nenhuma das duas distâncias foi aferida e as duas provas tinham mais do que a distância divulgada. Por que acho isso? Em primeiro lugar, a largada e a chegada eram no mesmo lugar, tanto para os 5K quanto para os 10K. Mas a placa do Km 3 na prova dos 5K não estava no mesmo lugar que a placa do Km 8 na prova dos 10K. A placa do Km 3 dos 5K estava uns 100m antes da placa do Km 8 dos 10K. O mesmo se repetiu para a placa do Km 4 dos 5K e a placa do Km 9 dos 10K.

Quando vi isto (placa do Km 4 antes da placa do Km 9), pensei que os 10K tinham sido aferidos mas os 5K não. E daí marquei a distância, usando meu relógio GPS, entre a placa do Km 9 e  a chegada. Mas este trecho deu 1,16Km segundo a medição (imprecisa) do meu Garmin.

É possível ver no registro do meu Garmin (que deu 5,28Km) que o trecho entre a placa do Km 4 e a chegada foi o com maior erro (1,23Km num trecho de  1Km) entre todas as parciais. E não foi só meu Garmin que deu mais do que 5,2Km nos 5K. Vi o mesmo acontecer com amigos do Linha de Chegada (exemplos: 5,26Km, 5,29Km nos 5K e 10,18Km, 10,24Km nos 10K).

Isto prova que o percurso não foi aferido? Claro que não.



Eu e Jeferson antes da prova.

Foto profissional da Vivo Esportes





Walter Silva

Reparem na altura dos pés.

Será que ela vai aterrissar com o calcanhar?

Será que o bebê gosta? Acho que sim.

Sempre tem alguém fazendo treinamento para ultra no meio de uma prova de rua.

Cadê o número de peito?

Exemplo!

Exemplo!

Jeferson correndo descalço

Jeferson de novo.

Exemplo!

Exemplo!

Exemplo e Felicidade!

Benhur de Almeida


Marzoní Vieira da Rocha

Longevidade

Mais longevidade

O pessoal do Exército também participou.


Professor Omero, da UTFPR.

Vista de cima de uma árvore.

Vista de cima de uma árvore.

Vista de cima de uma árvore.

Vista de cima de uma árvore.

Gora Oliveira, do Papaléguas

Banda do Exército. Meu avô tocava numa banda militar.

Mais um exemplo.


Dados dos concluintes a partir dos resultados

Receba as postagens deste blog por email