sexta-feira, 25 de julho de 2014

Sandálias Huarache da Xero Shoes

Eu tenho um par de sandálias huarache da Xero Shoes, pretas, com sola 4mm Connect. Quando eu comprei (em janeiro de 2012) a empresa Xero Shoes ainda se chamava Invisible Shoes (e isto está gravado em relevo nas sandálias). Com elas corri as Maratonas de Curitiba 2012 e 2013. Muitos treinos para a Maratona de Curitiba 2012 foram feitos com elas.

Análise em relação a algumas características:
  • Velocidade: para provas e treinos de velocidade este modelo da Xero Shoes não é tão bom. É meio estranho, eu não me sinto muito seguro em ir mais rápido com as Xero Shoes. Em pista ou asfalto bom, prefiro ir descalço. Em asfalto ruim, prefiro meu Inov-8 138. Em trilhas, prefiro algum minimalista de trilha (no momento estou sem nenhum mas já usei o New Balance Minimus Trail MT00).
  • Portabilidade:  por serem finas, são leves, fáceis de dobrar e levar no bolso. Isto é, você sai pra correr descalço e, caso encontre um terreno ruim, põe as huaraches e continua.
  • Durabilidade: após mais de dois anos, elas ainda estão como novas. Claro que um dos motivos é que eu não as uso em todos os treinos. Mas elas são bem duráveis mesmo. Se não me engano, a garantia é de mais de 8000 quilômetros.
  • Preço: são bem baratas nos EUA, quando comparadas aos tênis convencionais. No Brasil, incluindo frete e impostos, ficam relativamente caras. Dá pra fazer sua própria huarache comprando os materiais em lojas de calçados. Eu fiz, mas não ficou tão bom quanto as Xero Shoes.
  • Proteção: elas protegem bem do asfalto ruim, mas não de terrenos com muitas pedras. E (muito raramente) pedrinhas pequenas podem entrar e ficar entre seu pé e a sola de borracha.



Huaraches da Xero Shoes "enroladas". Fonte: Xero Shoes
.


Exemplo da Xero Shoes no pé.

A Xero Shoes já tem dois novos modelos de huarache. Basta dar uma olhada no site deles. Outro fabricante de huaraches é a Luna Sandals. Bastante conhecida entre os corredores minimalistas.

Se você quiser comprar huaraches feitas no Brasil, procure conhecer a marca Kobra. Não as tenho, nunca vi, mas quem viu disse que são boas. A diferença é que elas são bem mais espessas (13mm, o que eu acho alto demais para correr no asfalto).

segunda-feira, 21 de julho de 2014

Recorde Pessoal na Milha


No dia 4 de julho (dia da independência estadunidense) participei pela primeira vez de uma corrida de uma milha (1609m). E claro que foi recorde pessoal.

Na verdade, foi minha primeira prova com menos de 4K (todas as minhas provas até hoje estão em http://www2.dainf.ct.utfpr.edu.br/Members/adolfo/atividades/esportes/race-results/).

O mais legal é que foi uma prova aferida, isto é, tinha uma milha exata.
E era totalmente em descida a partir do primeiro quarto de milha.

Foi interessante, mas eu saí muito forte no início e depois fui perdendo ritmo. Algumas pessoas me ultrapassaram.
Eu não tinha noção de que ritmo imprimir. Eu não tinha um objetivo de tempo. Sabia que podia fazer abaixo de 7 minutos por milha (pelo meu tempo em 5K) mas não tinha certeza se conseguiria menos de 6. Consegui fazer 5:29. Segundo o Strava, se fosse no plano teria sido aproximadamente 6 minutos.

E, claro, por ter ido mais forte do que normalmente vou, mesmo em provas de 5K, senti aquelas sensações desagradáveis que são sinais do cérebro dizendo para você desacelerar. E achei estranho ter sentido boca seca. Talvez tenha me hidratado pouco antes da prova. O dia estava quente.

Ah, e não treinei especificamente para esta prova. Surgiu a oportunidade, inscrevi-me e fiz. Talvez na próxima prova de milha (http://www.magmilerace.com/) eu me prepare adequadamente.


quarta-feira, 16 de julho de 2014

Correr descalço: sim ou não? E quando?


Em primeiro lugar vou deixar claro: no momento atual da minha vida, não sou um corredor exclusivamente descalço.

Às vezes corro descalço, às vezes corro com algo bem minimalista (Xero Shoes, Vibram FiveFingers), às vezes com tênis reduzido (Inov-8 Road-X Treme 138) às vezes com alguns tênis nem um pouco minimalistas (Newton MV2, Saucony Type A5). Só uso os nem-um-pouco-minimalistas por razões sociais (ir a certos lugares descalço não é minha prática) e econômicas (economizar o 138, que foi caro). Não há nenhuma necessidade real para eles, que me apertam.

Ultimamente tenho feito vários treinos descalço. Até mais do que estaria fazendo em Curitiba nesta época do ano, afinal de contas lá agora é Inverno e aqui é Verão. Por aqui tem muito menos vidro quebrado nas ruas. Além disso, corro bastante em Greenways, que geralmente são ainda mais limpas do que as ruas (apesar de serem mais isoladas e não serem 100% seguras).

Exemplo de Greenway em Raleigh, North Carolina


Em provas tenho usado o Inov-8 138 e tenho gostado. É leve, altura baixa e não aperta. Pretendo usá-lo na Maratona de Nova Iorque.

segunda-feira, 14 de julho de 2014

2014 Triangle Race for the Cure

Participei em 14 de junho da prova "2014 Triangle Race for the Cure", uma prova de 5K, com percurso aferido, em Raleigh, Carolina do Norte.

Foi meu recorde pessoal em provas de 5K aferidas. No Brasil, nunca corri uma prova de 5K aferida. Como esta foi minha segunda prova de 5K nos EUA, e o tempo foi 21:31.99, superei meu tempo da prova anterior. Meu objetivo era menos de 21:30, portanto não fiquei totalmente satisfeito. Mas foi bom ficar em segundo na faixa etária.

O percurso não era muito plano, algo comum aqui em Raleigh. O clima estava agradável (mas não frio) pois a prova começou cedo (7:00). Corri com meu Inov-8 138, que se mostrou bem adequado.

Infelizmente as provas daqui nem sempre tem empresas tirando fotos, portanto não tenho nenhuma foto da minha participação na prova.

Foto da largada. Fonte: https://twitter.com/aysu/status/477767402994683904/photo/1

Receba as postagens deste blog por email