sexta-feira, 30 de maio de 2014

Grupos de Corrida nos Estados Unidos

Ok, não posso falar sobre todos os grupos de corrida nos Estados Unidos.
Vou escrever apenas sobre o North Carolina Roadrunners Club, NCRC. Participei de três encontros (social runs) deles neste mês de maio.

Como funcionam os encontros:

Durante todo o mês os encontros semanais acontecem na mesma hora e local. Neste mês de maio de 2014 foi às quintas-feiras no estacionamento da Raleigh Brewing Company (ver foto abaixo). Os encontros são divulgados por email (entre os membros do NCRC, que pagam uma taxa), por Facebook (no grupo do NCRC e também no grupo Running in the Triangle) e no Meetup.

O horário oficial este mês foi 6:30 da tarde (que nesta época do ano ainda é bem claro por aqui). Mas todo mundo chega mais cedo para colocar o nome na lista de presença. A lista de presença dá direito a participar dos sorteios. E não precisa ser membro do grupo para participar. Eu participei e ganhei uma caneca para café. Um amigo (também não membro do grupo) ganhou uma mochila de hidratação. Exemplos de outros prêmios: cupons de desconto e bonés.

Se chover muito forte, o encontro é cancelado. Aconteceu apenas uma vez neste mês.

Pouco antes das 6:30, a organizadora do evento (este mês foi a Rebecca Sitton) explica a todos como funciona, perguntando antes se tem algum novato no encontro. Ela diz quais são os percursos possíveis e cada um faz o percurso que quiser. Alguns vão sozinhos, outros em duplas e outros em grupos de 3 ou mais. Ela diz as distâncias aproximadas e diz para todos voltarem em uma hora. Na verdade todos voltam antes. Ontem, por exemplo, eu cheguei 7:30 e já tinham começado o sorteio.

Os percursos possíveis, neste local, são uma Greenway (um percurso asfaltado entre as árvores) no Meredith College e a Hillsborough Street (em frente à North Carolina State University). A Greenway é mais bonita mas menos plana. 

Depois da corrida tem água, isotônico e biscoito de graça (por conta do NCRC). Quem quiser pagar pode comprar cerveja ou um lanche de um food truck (cada semana é um food truck diferente, e acho que eles ficam lá por acordo com a cervejaria e não com o grupo) que também fica no estacionamento.

Gostei muito de participar dos três encontros em que pude estar em maio. Por sorte neste mês foi bem perto de casa (fui andando). Conheci várias pessoas e pretendo continuar a participar. Não tenho certeza ainda se vai ser possível, pois no próximo mês vai ser mais distante de casa.




Presença na Internet:

Além da página oficial, o grupo tem um Meetup e um grupo no Facebook.

quarta-feira, 14 de maio de 2014

Meia Maratona Rock 'n' Roll de Raleigh

Participei no dia 13 de abril de 2014 da minha primeira prova nos EUA: a Meia Maratona Rock 'n' Roll de Raleigh. Uma prova muito bem organizada, com largada em ondas e várias bandas no percurso.

Acordei cedo (ainda estava escuro) e fui caminhando até a largada.

A largada em ondas foi perfeita. Mais de 10 mil corredores e não tive nenhum problema em estabelecer meu ritmo. Em provas bem menores em Curitiba já tive problemas com isso.

O único problema da largada foi que atrasou um pouco. Acho que uns 15 minutos. Perdi parte do meu aquecimento.

Qualquer percurso em Raleigh, NC, dificilmente será plano. A cidade tem várias subidas e descidas (como Curitiba). Não dá pra fazer milagre. Mas eu sofri mais mesmo foi com a falta de treino. Eu não estava adequadamente treinado para esta prova. Mas deu tudo certo e finalizei em 1:43:18.

Cheou a fazer um pouco de calor,  mas o que me incomodou mesmo foi o céu aberto com sol.

Infelizmente duas pessoas morreram nesta prova.





 

sábado, 10 de maio de 2014

Socks and Undies 5K.



Prova bem pequena. Uns 50 participantes.

Boas subidas, descidas e cotovelos.

O clima estava um pouco quente (23 graus) pois a largada foi às 9h.
Um fato curioso: normalmente em provas no Brasil os corredores se aglomeram para ficar mais perto da linha de largada. Na prova de hoje, o voluntário teve que chamar todo mundo para a largada. Tava todo mundo mais para o fundo.

Percurso aferido oficialmente, mas sem cronometragem eletrônica (isto é, sem chip, sem tapete, etc.). Uma pessoa anotava o número de peito do corredor(a) quando ele(a) passava pela linha de chegada.

Prova organizada por voluntários de uma Non Profit Organization (Note in the Pocket) que doa roupas para crianças carentes da região de Raleigh. Além desta organização, outras estavam lá ajudando. O objetivo de eventos como este é divulgar as ações da organização e arrecadar fundos. Além de promover uma confraternização para os voluntários. Outras organizações estavam lá para divulgar seus trabalhos e atrair voluntários.

Relato da prova:
Larguei atrás de um garoto (deve ter uns 13 anos) e logo na primeira descida o ultrapassei. É estranho liderar uma prova. Pelo menos pela primeira vez. Em pouco tempo (uns 2-3 minutos) um rapaz me alcançou e me ultrapassou. Mas logo ele cansou e fiquei liderando de novo. Aí outro rapaz (que acabou vencendo a prova) me alcançou e falou: Vamos juntos? Tentei acompanhá-lo por alguns minutos mas deixei ele ir. Ele estava bem mais inteiro do que eu. Chegou um momento em que até perdi ele de vista e errei o caminho (por ser uma prova organizada por voluntários, e ter sido a primeira, esqueceram de colocar uma pessoa num ponto-chave do percurso). Parei, pedi ajuda (mas não obtive resposta), decidi um caminho e deu certo.

Logo depois, na última curva antes da chegada (veja no desenho do percurso que eram muitas as curvas), a voluntária não me viu passando, por estar olhando algo no celular, e me deixou passar. Depois ela me chamou, eu voltei e completei a prova em segundo no geral (e primeiro na faixa etária 40+). Os erros dos voluntários não interferiram na minha colocação: eu estava muito longe do primeiro e do terceiro. Mas afetaram um pouco meu tempo, que no final ficou em 22:51 (não oficial, claro).

Aconteceu um problema na divulgação final dos resultados. O senhor da empresa de cronometragem não conseguiu compilar os resultados (geral e pro faixa etária) e fui embora sem receber meu prêmio e minha medalha (medalhas eram só para os 3 primeiros, geral e na faixa etária).

Mas foi uma excelente experiência. Outra prova acontece em Setembro neste mesmo percurso e serviu como treino.

PS (05/06/2014): Recebi pelo correio a medalha da prova e um prêmio (25 dólares de desconto numa loja) por ter sido o primeiro colocado na faixa 40-49:











terça-feira, 6 de maio de 2014

Corrida da SMELJ - 1a. Etapa 2014

Participei neste dia 23 de março (é, estou bem atrasado nos meus posts) da Corrida da SMELJ no Bacacheri. Como você pode ver na imagem abaixo, foi minha oitava corrida da SMELJ:



A principal razão para eu ter participado de tantas corridas da SMELJ é que elas são baratas. Algumas da lista acima chegaram a ser gratuitas, como esta última. A propósito, as inscrições para a próxima estão abertas (clique no link abaixo até 11/05/2014 ou enquanto durarem as vagas):

http://www.curitiba.pr.gov.br/include/handler/acessobanner.ashx?codigo=362



Esta prova foi uma espécie de despedida temporária. No momento em que escrevo, estou em Raleigh, NC, Estados Unidos. Foi minha última prova no Brasil em 2014. Em 2015 estarei de volta.

Por ser uma prova que eu já tinha feito com Vibram FiveFingers KSO, decidi correr descalço. O asfalto não era o ideal (mas estou vendo aqui nos EUA que não existe asfalto ideal em toda prova). Por esta razão, tive que desacelerar em alguns trechos. Não consegui o sub-45 que havia conseguido com Vibram. Fiz em 45:30. Ainda assim um ótimo tempo. Teria sido Recorde Pessoal Descalço 40-45 se o percurso da prova fosse aferido. Na verdade, o percurso foi aferido, mas segundo o Neimar, a SMELJ teve que fazer uma pequena alteração (que matematicamente não deveria atrapalhar a aferição - mas isto não importa) no percurso medido.



Foi bom, como sempre, encontrar os amigos antes e depois da prova. A camiseta foi presente do Leonardo Liporati, quando ele esteve aqui para a Maratona de Curitiba.


Receba as postagens deste blog por email