sábado, 28 de abril de 2012

Corredores Descalços 2: Leonardo Liporati

Se você pesquisar sobre corrida descalça no Google, com certeza você vai encontrar alguma referência a Leonardo Liporati.



Ele é certamente o corredor descalço mais famoso do Brasil. A primeira maratona dele foi em 2009 aqui em Curitiba. Um belo vídeo da participação dele nesta maratona está em:



Neste link do blog Transpirando.com você encontra uma entrevista com o Leonardo.

Qual é a grande contribuição do Leonardo? Ele começou a correr descalço e depois compartilhou sua experiência na Internet em português. Além do site pes-descalcos.org, que tem uma seção específica sobre Corrida Descalça, ele está presente nas redes sociais: Twitter, Orkut, Google+. E participa ativamente da comunidade Correndo Descalço no Orkut.

Veja abaixo uma outra entrevista com Leonardo:


Se ele corre descalço em provas desde 2005 (veja aqui) e está vivo e bem, o que isto nos diz? Que correr descalço não é tão perigoso assim...

PS: Este é o segundo post de uma série. Leia o primeiro, sobre o Índio Cajueiro, aqui. O próximo deverá ser sobre o Sérgio Rocha, jornalista e blogueiro (blog Corredólatra) da Revista Contra-Relógio. Foi muito importante para mim, antes de decidir experimentar a corrida descalça, ler os posts dele.

domingo, 22 de abril de 2012

Treino e Maratona de Londres 2012

Treino e Susto


Hoje fiz um treino de 9 milhas. Meu objetivo continua sendo a Meia-Maratona de Curitiba em 24 de junho. Se persistir no ritmo de treinos atual, acredito que irei conseguir.


O objetivo do treino de hoje era completar 21km. Para isso acordei cedo, achando que ia conseguir começar antes das 6h (precisava estar em casa às 8h). Mas estava escuro demais. Não quis arriscar. Saí de casa por volta das 6h30 e fiz apenas 14,5km.

Passei um susto com um carro. Acho que o carro fez um cavalo de pau a 100m de mim. Só ouvi o barulho pois o carro estava atrás de mim. Não tenho certeza do que aconteceu. É possível que o motorista tenha cochilado. Mas foi só um susto. Nada aconteceu com o motorista do carro. Mas é fato que domingo pela manhã sempre vejo restos de batidas (cacos de vidros, partes de carros) pelas ruas.

Atualização: fiz mais 5.73km. Combinando os dois treinos, tornou-se o dia em quem mais corri até hoje (o recorde anterior havia sido em 24 de março). Senti um pouco o joelho esquerdo no final. Talvez tenha abusado um pouco.

Maratona de Londres 2012


Hoje pela manhã aconteceu a Maratona de Londres 2012.  Wilson Kipsang, queniano, foi o vencedor entre os homens.

Foto de Wilson Kipsang feita por Fernanda Paradizo da Revista Contra-Relógio


Mary Keitany, queniana, foi a vencedora entre as mulheres.


Foto de Mary Keitany feita por Fernanda Paradizo da Revista Contra-Relógio



Marilson Gomes dos Santos (em outra competição)

Marilson Gomes dos Santos foi melhor não-africano. Um excelente resultado.

Os dois vencedores foram retratados no livro que terminei de ler domingo passado: Correndo com os Quenianos, de Adhanarand Finn.

Um outro maravilhoso resultado foi o de Jaouad Gharib. Ele é um corredor de 39 anos (e que vai fazer 40 anos mês que vem) e consegui o melhor tempo na história para corredores acima de 39 anos, ficando em quinto na Maratona.

Jaouad Gharib

Eu no Blog do Luizz


Saiu uma entrevista comigo no Blog do Luizz. Não vou comentar nada, por motivos óbvios.


domingo, 15 de abril de 2012

Rapidinhas do Final de Semana

Fim de semana de descanso. Não participei de nenhuma prova. Apenas dois treinos em ritmo bem leve. Queria ter participado da prova de ontem em Campina Grande do Sul mas por motivos pessoais não fui.

Semana que vem parece que vai ser fraco em provas também. Vai ter a corrida da UFPR mas vão ser só 6,5K e vai começar 8h30. Muito tarde. E vai ter uma corrida Cross Country em São José dos Pinhais. Nunca participei de uma corrida Cross Country. Não sei se vale a pena.

O principal acontecimento do fim de semana foi ter conhecido o pessoal da CEISZ Run. Conheci o Luiz e o pastor da CEISZ em Curitiba. Eles e alguns outros membros do grupo fizeram um treino no sábado no Parque Barigui.

Outra coisa boa for ter terminado de ler Running with the Kenyans, de Adharanand Finn.


O livro conta a estória de Finn, um jornalista inglês que foi morar no Quênia. Ele passou seis meses lá, treinando com e como os quenianos. Um dos objetivos dele era ficar mais rápido. Isto ele conseguiu. Após voltar para a Inglaterra terminou uma corrida de 10K em 35 minutos. E completou a Maratona de Nova Iorque em 2 horas e 55 minutos. Ótimos tempos para um amador.

O outro objetivo era descobrir os segredos dos quenianos para serem os melhores corredores do mundo. Ele não descobriu nada isolado, mas no livro aponta vários fatores que, em conjunto, podem explicar a supremacia dos quenianos. Alguns destes "segredos":

  • as crianças quenianas levam uma vida muito ativa;
  • as crianças quenianas passam a maior parte da infância e adolescência descalças;
  • as crianças quenianas correm descalças indo para a escola e voltando para casa. Com isso, desenvolvem uma boa forma de corrida que jamais perdem.
Estou simplificando demais, claro. Depois faço um resumo mais completo. Alguns trechos que selecionei do livro estão na minha página de leitor na Amazon.



sexta-feira, 6 de abril de 2012

Circuito da Lua Cheia - 4ª etapa 2012



Participei nesta quarta-feira (4 de abril de 2012) da 4ª etapa em 2012 do Circuito da Lua Cheia.

Foto pegando a lua quase cheia e, embaixo, o local da largada.

Para quem não conhece, o Circuito da Lua Cheia é uma série de corridas que sempre acontece no Parque Tingui (veja mais aqui). Acontece todo mês. Segundo os organizadores, esta foi a 50a. etapa desde seu início e com isso o Circuito da Lua Cheia tornou-se a corrida mais executada (isto é, que teve mais edições) no estado do Paraná.

Esta corrida foi especial para mim por vários motivos. Exatamente em 4 de abril de 2011 (um anos atrás) comecei a treinar corrida, no Colégio Positivo Júnior, com o professor João Batista, num grupo aberto para os pais e mães do Colégio. Uma excelente iniciativa que deveria ser seguida por outras escolas.

Nosso grupo esteve lá em peso: 8 participantes. Uma das mães chegou até a conseguir o pódio na sua faixa etária (3o. lugar) e algumas outras mães ficaram no Top-10 de suas categorias. Eu fiquei em 11o. na minha faixa etária.

Medalha da quarta etapa 2012 do Circuito da Lua Cheia


Foi a primeira corrida em que minha filha foi comigo (e graças a Deus duas amigas do grupo levaram seus familiares que puderam ficar com minha filha enquanto eu corria). Ela só não me viu chegar pois eu corri os 8,6km e ela ficou me procurando na chegada dos 4,3km. Mas tudo bem, na próxima ela me vê.

Meu tempo foi de 43:35, isto registrado pelo meu relógio. O tempo oficial foi de 43:52. Esta diferença acontece porque no Circuito da Lua Cheia só tem tapete de cronometragem no final e não no início. Portanto não há tempo líquido.

Registrei a corrida também no RunKeeper. Dá para ver que a altimetria da corrida é relativamente "desafiadora": 164m. Como sempre aciono o RunKeeper antes da largada e desligo depois da chegada, o tempo e a distância são maiores do que os oficiais. Além disso, o registro de distância por GPS é sempre falho, é apenas uma aproximação do real.

Corri usando meu par de Vibram FiveFingers KSO. O parque não é totalmente iluminado e parte dele estava em obras. Não quis me arriscar a correr com meu Nike Free 0.0 (isto é, pés descalços), como fiz em corridas anteriores, sem ainda ter o treinamento adequado para isto.

PS: Se quiser ler um outro relato da mesma corrida, leia este aqui do Luiz Souza.

domingo, 1 de abril de 2012

Morreu Micah True, conhecido como "Caballo Blanco"

Hoje é um dia muito triste para mim. Acredito que para muitos outros corredores também.



Morreu Micah True, o Caballo Blanco, um dos personagens principais do livro Nascido para Correr, de Christopher McDougall, talvez o melhor livro sobre corrida já escrito. Para conhecer mais sobre Micah, leia esta entrevista.



O corpo de Micah foi encontrado no Novo México, pelo que entendi numa região próxima ao Deserto de Sonora (Gila Wilderness). Ele estava hospedado na pousada de um amigo, saiu pela manhã para correr e não voltou. Começaram as buscas que duraram 4  dias e terminaram por encontrar o corpo de Micah.

Ele morreu com apenas 58 anos, mas ao menos ele deixou sua contribuição para a humanidade: ter ajudado a redescobrirmos os índios Tarahumara e sua maneira alegre, relaxada e livre de correr. Caballo Blanco organizou várias edições da  Copper Canyon Ultra Marathon (CCUM). A primeira edição, em 2006,  foi descrita (de forma magistral, diga-se de passagem) no livro Nascido para Correr.

Caballo foi também um dos criadores da ONG Norawas de Raramuri. Tanto a CCUM quanto a ONG ajudam os índios Tarahumara (que na verdade se chamam índios Raramuri) a sobreviver, tendo em vista que estes índios vivem numa região muito bela, porém inóspita. Uma região cercada de traficantes (que já mataram vários índios) e plantações de maconha. E o governo mexicano não oferece uma ajuda significativa. Em suas Ultra Maratonas, todos os prêmios iam para os índios. Mesmo os estrangeiros que participavam e ganhavam prêmios, davam-nos para os índios.

RIP Caballo Blanco.

Receba as postagens deste blog por email