segunda-feira, 29 de junho de 2009

Google Tech Talk - Human Computation

Agrotóxicos demais... Laranja: 48 kg por ha!

A tabela abaixo foi retirada do post Na pressão por mais agrotóxicos:


Consumo de Agrotóxicos x Lavouras em 2008
  Agrotóxicos (ton) Área plantada (ha) Agrotóxicos (Quilos / ha)
Soja 318.818 21.224.665 15
Milho 98.910 14.445.264 6,8
Cana 50.344 8.139.985 6,2
Algodão 42.366 1.057.034 40
Laranja 38.753 803.000 48
Fontes: Sindag / IBGE / Mapa







Na pressão por mais agrotóxicos PDF Imprimir E-mail
Aldem Bourscheit   
25/06/2009, 14:35

No primeiro semestre de 2008, setores do ramo de agrotóxicos deflagraram ações judiciais em série contra a Anvisa - Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Eles tentavam impedir a reavaliação de quatorze substâncias usadas em quase uma centena de produtos. Como perderam todas as disputas, projetos de lei, requerimentos de informações e "Propostas de Fiscalização e Controle", espécies de mini-CPIs, são agora direcionadas contra as reavaliações, dizem fontes da Anvisa.


Leia mais em http://www.oeco.com.br/reportagens/37-reportagens/21972-cresce-pressao-por-mais-agrotoxicos

Quadro de Mérito da OBI 2009


O quadro de Mérito da OBI 2009 está na página da OBI, segue o link:
http://olimpiada.ic.unicamp.br/novidades/qmerito/

A lista de convocados para os cursos de programação na Unicamp estão em
http://olimpiada.ic.unicamp.br/novidades/qmerito/info_curso


Parabéns a todos, principalmente para os alagoanos:
Emilly Guaris Costa Colegio Contato Maceió AL
Vitor Matheus de Azevedo Escola Alternativa Arapiraca AL
Gabriel José Moreira da Costa Silva Colegio Contato Maceió AL




sábado, 27 de junho de 2009

O mal-estar na universidade, por Olgária Matos

Destaco alguns trechos do texto:

"a Universidade se adapta às circunstâncias do ensino médio, e o mestrado pretende contornar as deficiências da formação no ensino médio (e fundamental também), que incidem nos anos de graduação, convertida em extensão do segundo grau."

"Professores e estudantes cedem precocemente a publicações, sem que haja nelas nada de relevante"


"o ócio necessário à reflexão e à pesquisa é proscrito como inatividade, os improdutivos comprometendo o princípio de rendimento geral."

Fonte: http://www.cartamaior.com.br/templates/colunaMostrar.cfm?coluna_id=4382&boletim_id=567&componente_id=9687

Texto completo:

DEBATE ABERTO

O mal-estar na Universidade

O abandono da Universidade Cultural e sua substituição pela "Universidade da Excelência" ou do "Conhecimento" dizem respeito à dissolução do papel filosófico e existencial da cultura. Constrangido à pressa e ao atarefamento diário, o ócio necessário à reflexão e à pesquisa é proscrito como inatividade, os improdutivos comprometendo o princípio de rendimento geral.

Data: 25/06/2009

A militarização do campus universitário da USP e a solução de conflitos através da força atestam o "esquecimento da política", substituída pela ideologia da competência, entendida segundo o modelo da gestão empresarial, com seu culto da eficiência e otimização de resultados. Também a proposta mais recente da reforma da carreira docente e do projeto da implantação da Univesp (Universidade Virtual do Estado de São Paulo), respondem, cada qual à sua maneira, à "produtividade", os acréscimos salariais dos professores subordinando-se ao número de publicações e a seu estatuto— se livro, capítulo de livro, ensaio em revistas, se estas se ajustam ao "selo de qualidade" das agências de financiamento; número de congressos; soma de palestras; orientações de teses e dissertações e, sobretudo, se estas obedecem ao prazo preconizado, tanto mais exíguos quanto mais os estudantes chegam à Universidade desprovidos de pré-requisitos à pesquisa,como um conhecimento adequado do português para fins de leitura e escrita universitária, (guardadas as exceções de praxe), bem como acesso a línguas estrangeiras. De fato, a Universidade se adapta às circunstâncias do ensino médio, e o mestrado pretende contornar as deficiências da formação no ensino médio (e fundamental também), que incidem nos anos de graduação, convertida em extensão do segundo grau.

Professores e estudantes cedem precocemente a publicações, sem que haja nelas nada de relevante, e, ao mesmo tempo, devem freqüentar cursos ou prepará-los, realizar trabalhos correspondentes, desenvolver suas teses - uma vez que a quantidade consagra pontuações para futuras bolsas de iniciação científica ou aprovação de auxílios acadêmicos. Quanto aos docentes, estes se ocupam cada vez mais com tarefas de secretaria, como preenchimento de planilhas, elaboração de relatórios, propostas de inovação em cursos não obstante ainda em vias de implantação, acompanhamento de iniciação científica, organização desses congressos, participação em atividades de iniciativa discente, preenchimento de pareceres on line de um número crescente de bolsistas, e por aí vai. No que diz respeito ao ensino à distância, ele não responde à democratização da Universidade mas a sua massificação.

O abandono da Universidade Cultural e sua substituição pela "Universidade da Excelência" ou do "Conhecimento" dizem respeito à dissolução do papel filosófico e existencial da cultura. Constrangido à pressa e ao atarefamento diário, o ócio necessário à reflexão e à pesquisa é proscrito como inatividade, os improdutivos comprometendo o princípio de rendimento geral. Este encontra-se na base da transformação do intelectual em especialista e da docência como vocação em docência como profissão. O saber técnico é o do expert que transmite conhecimentos sem experiência, cujo sentido intelectual e histórico lhe escapa. Assim como no processo produtivo a proletarização é perda dos objetos produzidos pelos produtores e perda do sentido da produção, a especialização pelo know how é proletarização do saber. Por isso o especialista moderno se comunica por fórmulas, gráficos, estatísticas e modelos matemáticos. Foucault reconhece seu primeiro representante em Oppenheimer que enunciou o projeto Mannhathan - que levou à bomba-atômica - em termos simpaticamente técnicos.

A "Universidade do Conhecimento" perverte pesquisa em produção. Quanto à educação à distância, ela não significa um apoio ao conhecimento e seu acesso a regiões distantes, mas sim o fim de toda uma civilização baseada nos valores da convivência, da sociabilidade e da felicidade do conhecimento.



quarta-feira, 17 de junho de 2009

Notícia: Vestibular de Verão (2010) da UTFPR agora é pelo Novo Enem

O acesso aos cursos de Graduação da UTFPR, a partir de 2010, será realizado através da nota obtida pelo Novo Enem (Exame Nacional de Ensino Médio). Por isso, os candidatos ao Vestibular deverão efetuar as inscrições de 15 de junho a 17 de julho no site do Inep As provas serão realizadas nos dias 03 e 04 de outubro.

 

A proposta de utilizar o Sistema de Seleção Unificada (SSU), Novo Enem,  como acesso às universidades federais foi acatada pela UTFPR, ou seja, a partir de 2010 valerá apenas a nota do Enem como ingresso à instituição.

 

INSCRIÇÕES NOVO ENEM de 15/06 a 17/07 (endereço para link: http://enem.inep.gov.br

 

MAIS INFORMAÇÕES


Fonte: http://www.utfpr.edu.br/materia.php?page=novoenem&tipo=estatico

terça-feira, 16 de junho de 2009

O que é especificação?, por C. A.R. Hoare

"Sir Charles Antony Richard Hoare é um cientista da computação britânico, provavelmente mais conhecido pelo desenvolvimento do Quicksort, um dos  algoritmos de ordenação mais amplamente usados. Ele também desenvolveu a lógica de Hoare para verificar a correção de programas, e a linguagem formal CSP, usadapara especificar as interações entre processos concorrentes (que serviu de inspiração para a linguagem de programação Occam)." (Fonte: http://www.infoq.com/presentations/tony-hoare-computing-engineering)

Tony Hoare ministrou uma palestra na QCon London 2009.

Você pode assistir a palestra "The Science of Computing and the Engineering of Software", de Tony Hoare em http://www.infoq.com/presentations/tony-hoare-computing-engineering

Uma afirmação feita bem no final da palestra e que me chamou a atenção foi a seguinte analogia usada para definir especificação:

Uma especificação é apenas um teste generalizado


Ou, no original:

A specification is just nothing but a generalised test.

Ele falou isso ao responder uma pergunta de uma pessoa que falava sobre como o Desenvolvimento Dirigido por Testes de certa forma faz com se especifique um sistema através de testes executáveis.

Leia mais sobre a palestra de C.A.R. Hoare em:


Mulheres e matemática: A culpa não é do cérebro!

Por que temos tantos "Pitágoras" para tão poucas "Teanos"?! Será que o cérebro das mulheres é menos inclinado a entender a Matemática?! Não é o que diz o estudo de Janet Hyde e Janet Mertz da Universidade de Wisconsin-Madison, publicado em junho de 2009, na PNAS. Para as pesquisadoras o potencial "biológico" feminino para a Matemática é igual ao dos homens, mas elas acabam tendo menos incentivo para se empenhar nesta área de conhecimento. O que não ocorre no Oriente, já que meninas criadas em países asiáticos costumam ter, em média, notas maiores que as dos EUA. Sendo assim, ao invés de uma diferença biológica inerente ao sexo, a chave do problema parece ser uma questão sociocultural! (LSBP, jun 2009)

Hyde J S, Mertz J E (2009). Gender, culture, and mathematics performance. PNAS 106 (22), 8801-8807.


Fonte:http://www.cerebronosso.bio.br/novidades/2009/6/16/mulheres-e-matematica.html



Fwd: [Sbc-l] Saiu no portal "Investimentos e Notícias" (SP) e no Blog de Jamildo (JC Online, Recife): "Startups criam Empregos"


---------- Forwarded message ----------
From: Ruy de Queiroz <ruy@cin.ufpe.br>
Date: 2009/6/8


Saiu no portal "Investimentos e Notícias" (São Paulo) e no Blog de Jamildo (Jornal do Commercio Online, Recife): "

Startups criam Empregos

",

(Outros artigos em temas correlatos: no blog "Os Ventos da Liberdade".)

Ruy
----

ARTIGOS ESPECIAIS

08/06 - 07:30

Startups criam Empregos

São Paulo, 8 de junho de 2009 - Conforme a Wikipedia, uma "startup" (ou "start-up") é uma empresa com uma história de operação limitada. Essas empresas, geralmente recém-criadas, estão numa fase de desenvolvimento e pesquisa por mercados, e por essa razão não têm acesso a crédito nos moldes tradicionais. É aí que entram os investidores de capital privado (investidor anjo, capitalista de aventura, etc.), que são atraídos pela relação entre risco e recompensa, além da escalabilidade de tais empresas: se, por um lado, os riscos são maiores, por outro lado, os custos de inicialização são mais baixos e o retorno no investimento é potencialmente recompensador. Startups bem sucedidas são frequentemente mais escaláveis que empresas já estabelecidas porque tipicamente crescem mais rapidamente mesmo com limitações de capital e de força de trabalho. A empresa deixa de ser uma startup à medida que sobrevive às diversas fases de evolução, desde o período verdadeiramente inicial chamado "vale da morte" em função do altíssimo risco enfrentado, até se tornar rentável ou entrar no mercado de bolsa de valores através de um IPO (abreviação de "initial public offering", oferta pública inicial), ou ainda deixar de existir como uma entidade independente através de uma fusão ou aquisição por empresa maior. O termo é usualmente associado a empresas de tecnologia com alto potencial de crescimento, e se tornou popular internacionalmente durante o período do estouro da bolha ponto-com quando um grande número de empresas de internet foram fundadas. A maior concentração da atividade de criação de startups está localizada no Vale do Silício, uma região no norte da Califórnia em torno da Stanford University.

Em meio a um recorde de desemprego, um estudo de Janeiro passado do US Census Bureau financiado pela Ewing Marion Kauffman Foundation já mostrava que empresas startups são um principal ator na criação de empregos. As "Estatísticas de Dinâmica de Negócios" (Business Dynamic Statistics) indicam que enquanto as startups de negócios diminuem levemente na maioria das baixas cíclicas, tais empresas permanecem robustas mesmo na mais severa recessão durante o mesmo período de amostragem (no início dos anos 1980s). Os dados das BDS mostram que o emprego contabilizado ao setor de empresas privadas startups dos EUA durante o período 1980-2005 foi de cerca de 3% por ano. Embora ainda uma pequena fração do total de empregos, esses postos de startups refletem novos empregos, que é uma grande percentagem comparada com a média anual líquida de crescimento de empregos no setor privado nos EUA para o mesmo período (cerca de 1,8%). Tal padrão implica que, se forem excluídos os empregos das novas empresas, a taxa líquida de crescimento do emprego nos EUA é negativa na média. Em outras palavras, o relatório indica que, de 1980 a 2008, as startups, definidas nesse caso como empresas com menos de 5 anos, foram responsáveis por todo o crescimento líquido de empregos nos EUA.  (...)  (leia mais)





Tese da área de Ciência da Computação ganha o Grande Prêmio Capes de Tese

---------- Forwarded message ----------
From: Alejandro C. Frery
Date: 2009/6/10

Pessoal,

Boa noite. É com muita alegria que compartilho esta excelente notícia:

# Grande Prêmio Capes de Tese "Leopoldo Nachbin" - Ciências Exatas e da Terra

Área: Ciências da Computação
Grande Área: Ciências Exatas e da Terra
Autor: Eduardo Freire Nakamura
Tese: Fusão de Dados em Redes de Sensores sem Fio
Orientador: Antônio Alfredo Ferreira Loureiro

http://www.capes.gov.br/avaliacao/premios-capes-de-teses/2778

Tive o privilégio de fazer parte da banca que avaliou esse trabalho, e
posso atestar pela sua qualidade.

Parabéns Nakamura e Loureiro pelo excelente trabalho!

Alejandro

--
Alejandro C. Frery
Maceió, AL - Brazil
http://acfrery.googlepages.com
http://www.researcherid.com/rid/A-8855-2008

Bonecas Didáticas para Amamentação

Recebi o email abaixo e me senti na obrigação de divulgar. É de uma empresa que fabrica bonecas grávidas, bonecas amamentando, etc.

Um fato destacado pela autora da mensagem e criadora da empresa: " Não existe no mercado nenhuma boneca que amamente, a industria já ensina as crianças a usarem as mamadeiras. "

Que absurdo, não é mesmo?


Clique nos links abaixo para mais informações:
www.flordosul.com
http://amamentacaobonecasemamas.blogspot.com/


---------- Forwarded message ----------
From: Jane Santos
Date: Jun 9, 2009 10:14 PM
Subject: Amamentação Bonecas Didáticas
To: flor do sul <flordosul@hotmail.com>

 

Olá

Tudo bem?

Nosso objetivo é uma melhor qualidade de vida, mais especificamente para os bebês através do aleitamento.

 

Nossas bonecas são usadas em cursos de capacitação de enfermeiras, em cursinhos de gestantes, por profissionais de áreas da pedagogia, psicologia... Além de outras pessoas que as compra, pois compartilham desta idéia.

 

Acreditamos que através delas, possamos ajudar a vencer as indústrias de alimentos e mamadeiras que por anos vêem dizendo que o melhor alimento é o industrializado em pó, imagina.

 

Nossa maior intenção é a divulgação da Amamentação como fonte de alimento dos bebês. E toda ajuda sempre será bem vinda!

 



  Jane Guterres
Flor do Sul 
Amamentação Bonecas  Didáticas
Leite Materno: suprimento da Vida e do Amor!!!
Parto Normal: Deixe a Vida acontecer naturalmente!!!
www.flordosul.com       flordosulbr@hotmail.com
Comente em nosso blog:
http://amamentacaobonecasemamas.blogspot.com/


segunda-feira, 15 de junho de 2009

Saiu no JC e-mail: Pesquisadores criam blog

Notícias
Segunda-Feira, 15 de junho de 2009
JC e-mail 3782, de 12 de Junho de 2009.

26. Pesquisadores criam blog

O blog pretende ser um novo fórum de discussão em Ciência e Tecnologia

O blog, que pode ser acessado pelo link
http://democracia-e-transparencia-em-ct.blogspot.com/, conta, no
momento, com cinco artigos:

- Bolsa de Produtividade: Qual o melhor corredor?
- A casta dos superbacharéis
- Manifesto aa comunidade e aos órgãos de C&T
- Resposta ao Editorial do Estadão
- Para a ciência brasileira, quantidade vale ...

Para cadastrar-se no blog, de forma a receber notificação sobre novos
artigos postados, basta clicar em "Cadastre-se".

Os coordenadores do blog são os professores:
Edinaldo Nelson dos Santos Silva
Sidney da Silva Viana
Adolfo Gustavo Serra Seca Neto

Fonte: http://www.jornaldaciencia.org.br/Detalhe.jsp?id=64052

Por que a maioria da ciência brasileira é tão pouco citada?

Do Blog de Suzana Herculano-Houzel (Professora da UFRJ):

"Por que, então, a maioria da ciência brasileira é tão pouco citada?", pergunta alguém na platéia. Izquierdo não hesita: "porque ela é superficial: são, em sua maioria, estudos superficiais sobre questões superficiais, necessariamente publicadas portanto em revistas também superficiais. Izquierdo diz que a política brasileira de aferir número de publicações, e não impacto das publicações, dos pesquisadores reforça isso. É o que eu, desde quando voltei ao Brasil, chamava, chateada, de ciência de "abrir-a-geladeira-e-ver-qual-droga-vamos-testar-hoje". Fiquei confortada de ouvir que alguém do calibre dele compartilha da minha crítica. Falta de recursos não justifica falta de boas idéias.


Fonte:  http://www.suzanaherculanohouzel.com/journal/2009/6/13/agora-a-tiete-sou-eu-que-simpatico-o-izquierdo.html


Agora a tiete sou eu: que simpático o Izquierdo!

Conheço-o apenas de trocar cumprimentos e conversas rápidas em congressos, nos quais ele sempre me cumprimenta calorosa e efusivamente (sempre para minha grata surpresa, pois sinceramente não sei o que fiz para merecer isso), e admiro-o desde quando descobri seu trabalho através do seu livro A Arte de Esquecer. E hoje, graças a um novo formato peculiar de apresentação no 5o Congresso de Cérebro, Emoção e Comportamento, onde estou em Gramado (RS), gosto ainda mais dele.

O formato da apresentação permitiu que Iván Izquierdo, esse neurocientista brasileiro mas argentino de nascimento, falasse sobre o sucesso de seu grupo de pesquisa, que ele lidera no Rio Grande do Sul (primeiro na UFRGS, e há alguns anos na PUC-RS) há 34 anos. Com cerca de 300 artigos publicados, já citados em outros trabalhos mais de 12.000 vezes (!) - o recorde brasileiro, de longe -, Izquierdo fala com a tranquilidade e amabilidade de quem não precisa provar nada para ninguém. Sua autoridade é natural, merecida, não auto-proclamada.

Izquierdo contabiliza uma longa lista de mestres e doutores formados em seu laboratório, e contribuições reconhecidas internacionalmente em várias áreas relacionadas à neurobiologia da memória: formação paralela de memórias de curta e longa duração, extinção de memórias, persistência, efeito do estado hormonal, e até o envolvimento fisiológico da proteina prion na formação da memória. Toda sua pesquisa é feita no RS há mais de 30 anos, o que mostra que nenhum fator interno impede a ciência brasileira de ser altamente eficiente, bem-sucedida, altamente citada.

"Por que, então, a maioria da ciência brasileira é tão pouco citada?", pergunta alguém na platéia. Izquierdo não hesita: "porque ela é superficial: são, em sua maioria, estudos superficiais sobre questões superficiais, necessariamente publicadas portanto em revistas também superficiais. Izquierdo diz que a política brasileira de aferir número de publicações, e não impacto das publicações, dos pesquisadores reforça isso. É o que eu, desde quando voltei ao Brasil, chamava, chateada, de ciência de "abrir-a-geladeira-e-ver-qual-droga-vamos-testar-hoje". Fiquei confortada de ouvir que alguém do calibre dele compartilha da minha crítica. Falta de recursos não justifica falta de boas idéias.

A receita do sucesso de seu grupo? "Trabalhar, trabalhar, trabalhar; dialogar, dialogar, dialogar. Não considero meus estudantes subalternos, mas jovens que, como jovens, têm comportamento diferente do meu", diz ele com seu sotaque carregado, mas de tom sempre simpático, um prazer de ouvir. Lá fora os estudantes me cercavam para tirar fotos comigo. Fiquei com pena de não ter podido eu mesma tirar foto com o Iván Izquierdo. Era minha vez de fazer tietagem neurocientífica!



terça-feira, 9 de junho de 2009

Congresso da SBC 2009: Ernesto F. Galvão é mais uma das atrações do SEMISH

28 de Maio de 2009

ImageErnesto F. Galvão, professor adjunto no Instituto de Física da Universidade Federal Fluminense em Niterói, RJ, é mais um palestrante convidado do SEMISH 2009. Ele é autor do livro de divulgação científica "O que é computação quântica?", lançado em 2007, o qual faz parte da coleção "Ciência no bolso" da editora Viera&Lent. Sua palestra, intitulada "Realizações e desafios em computação quântica", ocorrerá no SEMISH na quarta-feira às 8h30min, dia 22 de Julho.

Leia mais em http://csbc2009.inf.ufrgs.br/index.php?option=com_content&task=view&id=95&Itemid=47

Para a ciência brasileira, quantidade vale mais que qualidade

Prof. Dr. Armando G. M. Neves UFMG – Depto. de Matemática 1o vice presidente da APUBH – Sindicato dos Professores de Universidades Federais de Belo Horizonte e Montes Claros
O ministro da Educação Fernando Haddad esteve anteontem, 5/5/2009, em evento na Academia Brasileira de Ciências e divulgou dados sobre o crescimento da produção científica do Brasil. Segundo esses dados, nosso país passou da 15a para a 13a posição no ranking mundial de número de artigos científicos publicados.

Certamente há o que comemorar, mas é importante analisar com mais vagar esses números. O ministro avalia ainda que o aumento do número de mestres e doutores no Brasil, de 13,5 mil em 1996 para 40,6 mil em 2007, contribuiu para tal resultado. Concordo também com essa avaliação e acho que o país deve mesmo continuar investindo na formação de mestres e doutores. Mas ainda não chegamos ao ponto que considero importante.

Segundo reportagem publicada ontem, 6/5/2009, pela Folha de São Paulo em sua seção de Ciência, a qualidade dos artigos científicos publicada por brasileiros, qualidade essa medida pelo número de citações que esses trabalhos recebem por parte de outros artigos subsequentes, fica abaixo da média mundial em todas as 21 áreas analisadas. Isso é muito preocupante e obviamente nos remete para o desempenho do Brasil em testes mundiais sobre a qualidade do ensino básico.

Leia mais em http://democracia-e-transparencia-em-ct.blogspot.com/2009/06/para-ciencia-brasileira-quantidade-vale_08.html

[Parir-Nascer] Casa de Parto no Rio de Janeiro

---------- Forwarded message ----------
From: Ana Cristina Duarte
Date: 2009/6/8
Subject: [Parir-Nascer] Casa de Parto no Rio de Janeiro


A Casa de Parto David Capistrano no Rio de Janeiro vem funcionando há alguns anos a despeito da perseguição permanente do CREMERJ. Recentemente, no entanto, a Casa de Parto foi fechada graças à insistência da categoria médica, ainda que os resultados sejam excelentes e dignos de qualquer país de primeiro mundo.
 
Se você, como nós do GAMA, gostaria de se manifestar contra o fechamento desta Casa de Parto, por favor entre no link:
 
 
E participe do Abaixo Assinado pela reabertura da Casa de Parto. Nesse link há um texto explicativo sobre os trabalhos do estabelecimento e as condições do fechamento da mesma.
 
Atenciosamente
 
 
Ana Cristina Duarte
GAMA -Grupo de Apoio à Maternidade Ativa

segunda-feira, 8 de junho de 2009

Concursos da UTFPR oferecem 40 vagas para professores

A UTFPR está com inscrições abertas para 40 vagas para professores do magistério superior (classe assistente e classe adjunto) e do ensino básico, técnico e tecnológico, nos campi Apucarana, Campo Mourão, Cornélio Procópio, Curitiba, Ponta Grossa e Toledo.

Em Apucarana, as inscrições vão até o dia 14 de junho. São ofertadas oito vagas para professores do ensino superior, nas áreas de Cálculo/Estatística; Engenharia Têxtil; Língua Portuguesa/Libras; Administração; Engenharia Ambiental; Física; Engenharia Mecânica e Engenharia de Produção. A taxa de inscrição é de R$ 100.

No Campus Campo Mourão, são ofertadas cinco vagas nas áreas de Física; Química/Química Geral; Eletrônica Analógica; Eletricidade e Circuitos Elétricos; Eletrônica Digital e Microcontroladores. As inscrições podem ser feitas somente até hoje (dia 8) e têm taxa de R$ 115.

Também apenas até hoje podem efetuar suas inscrições os candidatos interessados na vaga para professor de ensino superior do Campus Cornélio Procópio. A taxa é de R$ 97 e área, Eletrotécnica/Automação e Controle.

Em Curitiba, são ofertadas 14 vagas, com inscrições terminando nos dias 14 de junho (Mecânica Estrutural/Mecânica dos Sólidos e Vibrações) e 5 de julho (Administração Geral e Marketing; Biologia Celular e Bioquímica; Ciência da Computação; Controle e Servomecanismos; Educação/Metodologia da Pesquisa na Formação de Professores; Física/Ensino de Física; Física/Física Geral; Língua Inglesa e Literaturas; Matemática/Análise; Química/Química Inorgânica; Design/Teoria e História do Design). As taxas de inscrição têm valores de R$ 103, R$ 111 e R$ 168.

No Campus Ponta Grossa, estão abertas, até o dia 14 de junho, quatro vagas nas áreas de Mecânica/Projetos; Engenharia Elétrica/Circuitos Elétricos; Engenharia Elétrica/Máquinas Elétricas; Engenharia Elétrica/Controle de Processos. A taxa é de R$ 97.

Em Toledo, são oito vagas para professor do ensino básico, técnico e tecnológico, nas áreas de Automação, Computação, Elétrica, Eletrotécnica, Mecânica, Química. As inscrições vão até o dia 5 de julho e têm taxa de R$ 54.

Mais informações e editais no site da UTFPR.



Fonte: http://www.utfpr.edu.br/materia.php?id=263&tipo=noticias

Novo blog: Democracia e Transparência em Ciência e Tecnologia

http://www.democracia-e-transparencia-em-ct.blogspot.com/

Fwd: [Sbc-l] Rajeev Motwani, Professor de Stanford, Pesquisador e Anjo Investidor, Morre de Acidente

Leia mais sobre a morte de Rajeev Motwani em http://www.guardian.co.uk/technology/2009/jun/07/rajeev-motwani-dead-google-swimming-pool

---------- Forwarded message ----------
From: Ruy de Queiroz
Date: 2009/6/7


Rajeev Motwani, ex-orientador de doutorado de Larry Page e Sergey Brin (co-fundadores da Google), Professor de Ciência da Computação de Stanford, morreu em 05/06/2009 num acidente na piscina em sua casa na Califórnia. Motwani era muito conhecido por sua pesquisa em Computação Teórica, a ponto de em 2001 ter sido um dos agraciados com o prestigioso Prêmio Gödel, além do Okawa Foundation Research Award e da Arthur Sloan Research Fellowship. Foi também um ávido investidor anjo, um dos primeiros investidores na Paypal, um consultor especial da Sequoia Captial, e tinha fundado várias startups bem-sucedidas que saíram de Stanford, incluindo Google, e outras ainda em fase de desenvolvimento como TokBox, Tapulous, Flowgram, Anchor Intelligence, Simply Hired, e Kaboodle. Atuava como membro do conselho de diretores de diversas startups, tais como Mimosa Systems, Adchemy, Baynote, Vuclip e Stanford Student Enterprises, além de ser membro ativo da Business Association of Stanford Engineering Students (BASES). Em seu blog, Sergey Brin declara que "desde que a Google emergiu de Stanford, Rajeev permaneceu um amigo e conselheiro da mesma forma que foi com muitas pessoas e startups desde então."

Rajeev Motwani, Google founders' professor and early investor, dies


Goodbye Old Friend. R.I.P. Rajeev Motwani





terça-feira, 2 de junho de 2009

Eleições para o Conselho da SBC

Venho por meio deste post expressar publicamente meu apoio aos seguintes candidatos ao conselho da SBC (ver todos os candidatos em http://www.sbc.org.br/index.php?language=1&subject=465 ), em ordem alfabética:

Geraldo B. Xexeo (UFRJ)

Jacques Wainer (UNICAMP)

Silvio Romero de Lemos Meira (UFPE)


==========================================
Adolfo Neto
Departamento Acadêmico de Informática
Universidade Tecnológica Federal do Paraná
Web: http://www.dainf.ct.utfpr.edu.br/~adolfo
Blog: http://professoradolfo.blogspot.com
==========================================

Economia do presente vs. economia do roubo - Google

"A 'economia do presente' também apóia a 'economia do roubo' na qual empresas particulares lucram com o conteúdo fornecido de graça. A empresa Google copia conteúdo, geralmente sem permissão e sem pagamento, e faz dinheiro fazendo propaganda ao lado deste conteúdo."

The 'gift economy' also supports a 'theft economy' in which private companies profit from the supply content provided at no charge. Google copies content, mostly without permission and always without payment, and makes money from advertising alongside this content.

Fonte: COPE, Bill; KALANTZIS, Mary. Signs of epistemic disruption: Transformations in the knowledge system of the academic journal. First Monday. V. 14, N. 4, 6/04/2009.Disponível em:<http://www.uic.edu/htbin/cgiwrap/bin/ojs/index.php/fm/article/view/2309/2163>. Acesso em: 2 jun. 2009.

segunda-feira, 1 de junho de 2009

Sobre a existência do regulamento da avaliação CAPES, por Geraldo Xexeo (UFRJ)

Link direto para a mensagem na lista da SBC: https://grupos.ufrgs.br/pipermail/sbc-l/2009-June/006862.html

---------- Forwarded message ----------
From: Geraldo Xexeo
Date: 2009/6/1
Subject: Re: [Sbc-l] Signs of epistemic disruption: Transformations in the knowledge system of the academic journal
Cc: SBC-L <sbc-l@sbc.org.br>


Vejo que muito se discute o teor do regulamento da avaliação CAPES,
porém pouco se discute sobre a própria existência do regulamento.

Deixemos claro que a política atual de avaliação é uma camisa de força
a qual somos obrigados a nos render. Isso porque não apenas o dinheiro
que mantém os cursos de pós-graduação, mas a própria existência desses
cursos dela depende. Propostas já discutidas em nosso ambiente, como a
de nos retirar do processo de avaliação e recusar o dinheiro da CAPES,
procurando um modelo independente, são inviáveis, pois nossos diplomas
nada valeriam.

Claramente, a forma atual de avaliação é um atentado contra a
autonomia universitária e científica. Não é possível criar um
departamento que "pense diferente". Enquadrados todos, qualquer que
seja a regra, pouco espaço sobra para a verdadeira inovação e para o
aparecimento de lideranças reais e núcleos de excelência.

O primeiro questionamento que devemos fazer é contra a própria
existência de uma regra de avaliação. Claro, ela parece ser válida
quando pensamos em centenas de cursos que pretendem apenas fornecer
diplomas de mestrado, em um formato de educação continuada e
padronizada que tanto agrada certos círculos da educação no Brasil.
Garanta-se o mínimo e o mínimo será dado para todos. Há muitos anos
esse parece ser o paradigma da educação brasileira: pouco para muitos.
Mas é assim que se faz Ciência?

A resposta é óbvia: não é assim que se faz Ciência. Não foi assim que
o homem pisou na Lua, não foi assim que descobrimos as menores
partículas da matéria ou encontramos a cura para incontáveis doenças.

O que é necessário é uma política científica baseada em objetivos de
longo, médio e curto prazo, ao redor de problemas reais da nação ou de
problemas que provoquem o crescimento da nação. O que é importante é
direcionar estrategicamente a pesquisa, ao contrário do regulamento
existente, que gera uma visão tática. O que é importante é atrelar a
ciência à indústria e a sociedade, provocando o crescimento.

Como esse plano não existe, ficamos apenas com um regulamento. O pior,
é que esse regulamento possui apenas uma régua.

Nossa Ciência, então, passa a ser medida pela aceitação de nossos
artigos por comitês editoriais de revistas internacionais. Os
problemas nacionais deixam de ser importantes. Áreas inteiras deixam
de ser importantes, pois suas revistas são de pouca influência. Áreas
novas deixam de ser importantes, pois ainda não existem revistas
reconhecidas que delas tratem.

As mensagens que nos passa o regulamento são: trabalhem em áreas
consolidadas, onde pequenos resultados podem ser publicados em
revistas de grande impacto; publique muito, eduque pouco; exercite seu
inglês e abandone as outras línguas e culturas; priorize o global
sobre o nacional.

Parece uma lista do que não se fazer para fazer um país crescer.
E isso ocupa o vácuo de uma política nacional de Ciência e Tecnologia.

O impacto não é de curto prazo. Depois de anos vivendo dentro desse
paradigma, não só nos adaptamos a ele como também já criamos uma
geração de doutores e professores que foi treinada a acreditar que
essa é a coisa certa. Com o tempo, isso só tende a se agravar.

O mais surpreendente, porém, é que não há uma só pessoa na Computação
que, confrontada com argumentos como esses, defenda o método atual.
Minha experiência diz que as Engenharias também não acreditam nisso.
Já ouvi de professores que criaram documentos de área que não
concordam com o que foi aprovado.

Por que então seguimos nesse caminho?

Geraldo Xexéo
--
Geraldo Xexéo, D.Sc.
Coordenador do Programa de Engenharia de Sistemas e Computação - COPPE/UFRJ
Professor Adjunto - DCC/IM/UFRJ
_______________________________________________
Sbc-l mailing list
Sbc-l@sbc.org.br
https://grupos.ufrgs.br/mailman/listinfo/sbc-l

Receba as postagens deste blog por email